quinta-feira, 17 de junho de 2010

O oligopólio midiático e o espantalho da ameaça à democracia

Meu comentário a um post patético do correspondente em Brasília do Estadão - leia aqui o post.



esse post é um exemplo do jornalismo parcial apontado pelo presidente.

estranho é uma imprensa, como a nossa, oligopólica e ideologicamente pouco plural, e que se alinha partidariamente.

o problema não é falar de "mensalão" ou deixar de falar. o problema é que tais escândalos só ocorrem de um lado. o psdb governa SP há quase duas décadas, e a imprensa carioca-paulista não encontra nada de errado por lá.

o problema não é denunciar ou não o dossier. o problema é que ninguém nunca viu o tal dossier, que na verdade são capítulos de um livro de um respeitado jornalista que vem fazendo uma coisa rara no brasil: jornalismo investigativo. há uns dois anos.

esses dois exemplos, apontados pelo blogueiro, ilustram bem o que causa a falta de pluralidade na mídia brasileira: impera uma versão - partidária - em detrimento de outras leituras da realidade.

e qualquer crítica à prática jornalista praticada por esse oligopólio é vista como "ameaça à democracia". e aí se entende, que a preocupação é com reformas que induzam à democratização do espaço midiático, que proporciona mais vozes, mais visões de mundo e mais representatividade da imensa diversidade geográfica, cultural e política desse país, que não se restringe ao eixo avenida paulista-jardim botânico!

esse jornalismo supercial, interesado, partidário e pouco plural é muito mais um obstáculo à democracia do que as críticas procedentes do principal líder político do país!

terça-feira, 15 de junho de 2010

Berlam e Banda Larga

Tem um novo cantor no pedaço - Berlam e Banda Larga. Trata-se de uma boa novidade. Berlam é um excelente intérprete, performático e, o melhor de tudo, as suas músicas apresentam letras tão inteligentes como não se via há muito tempo na música brasileira. Achei algumas músicas suas no YouTube, e espero encontrar mais no futuro.



E pra quem gostou e quiser conhecer mais o trabalho, aqui é a página Myspace.


terça-feira, 1 de junho de 2010

Por que Celso Amorim é o melhor ministro de relações exteriores das últimas décadas

dois exemplos recentes:


- Entrevista coletiva no encerramento do III Fórum Mundial da Aliança de Civilizações foi marcada pelo acordo nuclear do Irã