segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Notícia e contexto

Notícia não é só o fato. Notícia é o fato inserido num contexto. O fato, por si só, não tem significado. Para que tenha sentido, é preciso que faça parte de uma narrativa. A narrativa pode até estar errada, ser manipulada, mas só assim o fato isolado passa a ter sentido.

O incidente recente dos sapatos jogados contra o presidente W. Bush, no Iraque, proporcionam um exemplo bastante eloqüente de como um mesmo "fato" pode ser abordado de maneiras diferentes. A reportagem da CNN, embora mais longa, é menos informativa e menos contextualizada historicamente. A reportagem da Al Jazeera, por outro lado, vai até o começo da guerra, mostra outros casos que explicam a ofensa que o sapato representa na cultura árabe.

Pena que não tenhamos tanto material jornalístico disponível no YouTube brasileiro... Comparações desse tipo poderiam ser bastante pedagógicas. A investigação sobre Daniel Dantas, que envolve jornalistas, políticos e juízes - todos os quatro poderes da república - tem sido noticiada de formas divergentes por diferentes meios de comunicação. O mesmo "fato" oferece diferentes narrativas... Algo análogo ocorreu no caso do "mensalão" (entre aspas, mesmo). Nesse caso, deu-se uma única, exclusiva narrativa oficial. Até hoje, quem ousar narrar aqueles fatos de forma alternativa é tido como petista lunático.

Quem ousasse dizer que era preciso ir a fundo, às origens do problema, ou era xingado de petista (como eu sou até hoje), ou perdeu o emprego (como Franklin Martins, despedido pela Globo por repetir a pergunta proibida "De onde veio o dinheiro?"). A narrativa oficial era que a corrupção do "mensalão" seria algo restrito ao PT e ao Governo Lula. Passados três anos e meio desde as acusações de Roberto Jefferson, sabemos que a história é mais complexa. Hoje, no caso Daniel Dantas, graças ao trabalho sério do Juiz De Sanctis, do delegado Protógenes, de publicações como a Carta Capital e de jornalistas como Bob Fernandes e Luiz Nassif, temos uma pluralidade de narrativas mais amplamente aceitas.

Sem contar que os blogs vêm ganhando cada vez mais importância nessa construção de narrativas alternativas. Hoje, tem entrevista do presidente do STF, o ilustre Gilmar Mendes, no Roda Viva (na TV de Serra). Um dos melhores textos que você lerá a esse respeito não está em nenhum jornalão... está na blogosfera: aqui.

2 comentários:

Jampa disse...

Muito legal BJ. É isso aí, a blogosfera é também um espaço de opinião importante onde existe uma luta voraz para legitimação de narrativas.Já vi gente falando da morte dos blogues, mas acho que o Idelber e o seu Biscoito Fino um exemplo a ser seguido. Ele vem construindo um modelo de blogagem sério, de qualidade que, mesmo que não possa ser levado a cabo por todos com o mesmo vigor e qualidade, estabelece um parametro de condutas e maneiras de utilizar o espaço. Lendo ele e outros aprendi a entender melhor a diversidade de posturas que um blogueiro pode ter, mas estabelecendo critérios mínimos de honestidade e rigor na conduta (citar fontes, estabelecer uma relação distintiva entre fato e opinião, etc.). Acho que mesmo blogues menores como os nossos, podem, no seu tamanho trabalhar com mesma dignidade, cada um, claro, mantendo a filosofia que o inspirou. É isso aí, vida longa a blogosfera se ela continuar exercendo essa função catalizadora da opinião sobre os fatos. Mesmo que mínimamente!
Abração.

Jorge disse...

Há muito tempo não vejo mais o Roda Viva, quando não é pedante, é a politicamente engajado, subserviente.. aliás cabe lembrar que foi essa tv do serra que extinguiu a Orquestra Sifonia Cultura que tinha belo trabalho de estréaias e gravações da música de concerto brasileira... enquanto isso o rio de dinheiro corre pelas OSESP/PSDB ..