domingo, 16 de agosto de 2009

Um e-mail pra Danuza

numa manhã ressacada de domingo, escrevi esse e-mail pra Danuza Leão, em resposta à sua coluna dominical (que posto ao final da mensagem).

***


----- Mensagem encaminhada ----
De: Bernardo Jurema
Para: danuza.leao@uol.com.br
Enviadas: Domingo, 16 de Agosto de 2009 14:53:18
Assunto: um abraço desde londres

prezada danuza,

gosto muito das suas colunas. suas observações sobre o quotidianos são pertinentes e perspicazes. vc tem um estilo e um domínio da língua que fascinam.

como assinante e leitor da folha, só queria expressar que o único momento que acho graça involuntária da sua coluna é quando você aborda a política.

pra começar, você faz um julgamento mordaz que alguém que você admite nem conhecer. então não fale, ora.

infeliz, também, comparar a ministra dilma a "general da ditadura". logo ela, que foi presa dos 19 aos 21 anos e que foi barbaramente torturada pelo nosso regime autoritário (que é chamado, pela empresa onde você trabalha, de ditabranda. talvez tenha sido branda pros Frias, mas não pra dilma!). achei de mau gosto a comparação, além de historicamente incorreta.

e não vejo tanta bravura na dona lina. muito legal sair fazendo denúncia (sem provas!), quando se tem metade do senado te apoiando, sem contar o apoio em massa do nosso oligopólio midiático (folha, estado, as globos, abril). vá ver onde estar o "bravo" caseiro francenildo, usado covardemente pela oposição/imprensa, e hoje desempregado (nignuém quer um funcionário que vai depois sair falando pelos cotovelos, o que viu ou acha que viu, pro primeiro curioso que bater em sua porta).

e comparar dilma a collor? francamente. olha a biografia de um de outro. olha o poder econômico de um e de outro. dilma é uma "self-made woman". leia o perfil dela na piauí do mês passado. collor é um filhinho de papai, crescido em brasília, cheirador de cocaína, herdeiro de fortuna nordestina etc.

o medo de regina, eu te explico agorinha: medo de um presidente retirante nordestino, feio, que fala errado, maior líder popular do país, que construiu o partido mais orgânico da américa latina. em outras palavras, medo de povo, tão típico de certos setores de nossa sociedade casa-grande & senzala.

essa lenda da ocupação da máquina não é embasada em fatos. o que houve foi a primeira transição no brasil desde 1964! os grupos políticos pouco se alternaram desde então. quando o pt foi eleito em 2003, foi a primeira vez que o PFL (ex-arena, lembre-se) estaria alienado do poder federal! isso sim é ocupação de máquina! lembro que naquele ano, tinha funcionário com cargo comissionado na Fundação Joaquim Nabuco (em recife), indicados por marco maciel, que ocupavam o posto havia DÉCADAS. transição democrática é isso mesmo. quando outro partido receber a confiança do povo brasileiro, nem se preocupe, danuza: serão seus aliados que ocuparão a máquina administrativa. entendo sua confusão: temos pouca experiência democrática no brasil, e esse negócio de troca de grupo no poder é algo novo para nós.

por fim, é tão engraçado gente feito você, que ADORA petista - desde que saiam do partido. Marina é uma grande figura pública deste país. quando foi ministra, perdeu TODAS as batalhas no congresso, pois a bancada ruralista é a mais forte por lá. Nunca vi NINGUÉM do que hoje a defendem entusiasticamente a defenderem naquelas ocasiões. Se isso não for oportunismo, não sei o que é. e digo mais, diz muito da importância do PT o fato de que alguém com a trajetória de Marina tenha construído sua carreira no PT. Por que será que não surge alguém assim nos outros partidos? reflita sobre isso.

Mas não se anime muito. sabe qual o impacto que marina vai ter na candidatura de Dilma? Zero. Viu a datafolha hoje? viu a popularidade do governo lula? e isso a despeito da tentativa sistemática do oligopólio midiático de criar escândalos em série e nível federal e de proteger e até promover o governo tucano de são paulo (e esconder o do RS!).

Enfim... achei fraco seu artigo hoje. evite falar de política, danuza. exceto se for pra falar das roupas dos políticos, aí vc volta pro que sabe falar.

um leitor seu... e petista! hehehe

um abraço desde londres,

--
Bernardo Jurema


***
São Paulo, domingo, 16 de agosto de 2009



DANUZA LEÃO

Quem tem medo da doutora Dilma?
Ela personifica, para mim, aquele pai autoritário de quem os filhos morrem de medo, aquela diretora


VOU CONFESSAR: morro de medo de Dilma Rousseff. Não tenho muitos medos na vida, além dos clássicos: de barata, rato, cobra. Desses bichos tenho mais medo do que de um leão, um tigre ou um urso, mas de gente não costumo ter medo. Tomara que nunca me aconteça, mas se um dia for assaltada, acho que vai dar para levar um lero com os assaltantes (espero); não me apavora andar de noite sozinha na rua, não tenho medo algum das chamadas "autoridades", só um pouquinho da polícia, mas não muito.
Mas de Dilma não tenho medo; tenho pavor. Antes de ser candidata, nunca se viu a ministra dar um só sorriso, em nenhuma circunstância.
Depois que começou a correr o Brasil com o presidente, apesar do seu grave problema de saúde, Dilma não para de rir, como se a vida tivesse se tornado um paraíso. Mas essa simpatia tardia não convenceu. Ela é dura mesmo.
Dilma personifica, para mim, aquele pai autoritário de quem os filhos morrem de medo, aquela diretora de escola que, quando se era chamada em seu gabinete, se ia quase fazendo pipi nas calças, de tanto medo. Não existe em Dilma um só traço de meiguice, doçura, ternura.
Ela tem filhos, deve ter gasto todo o seu estoque com eles, e não sobrou nem um pingo para o resto da humanidade. Não estou dizendo que ela seja uma pessoa má, pois não a conheço; mas quando ela levanta a sobrancelha, aponta o dedo e fala, com aquela voz de general da ditadura no quartel, é assustador. E acho muito corajosa a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, que está enfrentando a ministra afirmando que as duas tiveram o famoso encontro. Uma diz que sim, a outra diz que não, e não vamos esperar que os atuais funcionários do Palácio do Planalto contrariem o que seus superiores disserem que eles devem dizer. Sempre poderá surgir do nada um motorista ou um caseiro, mas não queria estar na pele da suave Lina Vieira. A voz, o olhar e o dedo de Dilma, e a segurança com que ela vocifera suas verdades, são quase tão apavorantes quanto a voz e o olhar de Collor, quando ele é possuído.
Quando se está dizendo a verdade, ministra, não é preciso gritar; nem gritar nem apontar o dedo para ninguém. Isso só faz quem não está com a razão, é elementar.
Lembro de quando Regina Duarte foi para a televisão dizer que tinha medo de Lula; Regina foi criticada, sofreu com o PT encarnando em cima dela -e quando o PT resolve encarnar, sai de baixo. Não lembro exatamente de que Regina disse que tinha medo -nem se explicitou-, mas de uma maneira geral era medo de um possível governo Lula. Demorei um pouco para entender o quanto Regina tinha razão. Hoje estamos numa situação pior, e da qual vai ser difícil sair, pois o PT ocupou toda a máquina, como as tropas de um país que invade outro. Com Dilma seria igual ou pior, mas Deus é grande.
Minha única esperança, atualmente, é a entrada de Marina Silva na disputa eleitoral, para bagunçar a candidatura dos petistas. Eles não falaram em 20 anos? Então ainda faltam 13, ninguém merece.
Seja bem-vinda, Marina. Tem muito petista arrependido para votar em você e impedir que a mestra em doutorado, Dilma Rousseff, passe para o segundo turno.

5 comentários:

Jorge disse...

Berna, eu nao sei como vc perdeu seu tempo escrevendo para uma figura como essa... o texto dela eh de um nivel tao rasteiro.. tao primario.. tao ali kamel... de uma alienacao que so uma pessoa se acha alguma coisa a mais que socialite metida a cult pode pensar.. parabens pela sua crenca no bom senso inexistente..
Abc

Bernardo Jurema disse...

hahaha
jorge, minha mãe, quando leu isso aqui, me mandou um e-mail falando mais ou menos a mesma coisa que vc!!!
hahaha
em minha defesa... foi uma manhã ressacada de domingo!!!!

Anônimo disse...

Não tinha lido ainda isso aqui. Postei mais um texto lá no blog. Não tenho medo de Dilma, mas isso é uma coisa a se pensar eleitoralmente. A imagem dela é tão pesada que só me faz pensar que ainda pode haver um plano de terceiro mandato debaixo dos panos. Espero que não. Que seja a competência dela que tenha criado esse projeto sucessório.

Abraço

Dado

Anônimo disse...

olha lá

www.horoscopo.blogspot.com

Dado

Danuza Leão disse...

Caro Bernardo,
vai te fuder. vc e a generala dilma.

beijo na bunda,
Danuza