segunda-feira, 7 de maio de 2007

Cativeiro carro

Ninguém anda mais em Recife (refiro-me à classe média, bem entendido). Prevalece a ditadura do transporte individual motorizado (vulgo, carro).


Noves fora ser este meio de transporte altamente poluente, uma caminhada pode ser algo tão agradável! Mais que isso, é saudável tanto ecológica quanto socialmente. Não há melhor maneira de se conhecer a sua cidade; descobrir pequenas belezas não observáveis a 40, 50 km/h; perceber a diversidade cultural e a sabedoria popular, ao interagir, nos ambientes públicos, com pessoas diferentes dos seus próprios meios.


No entanto, a paranóia com a questão da segurança, torna a classe-média recifense refém de si mesma – presa em seu próprio cativeiro – alimentando-se de sua alienação e ignorância em relação ao mundo que a cerca, à sua própria cidade.


Não querendo desconhecer a crise de segurança pública que assola a cidade – cujas raízes estão nas profundas desigualdades brasileiras, potencializadas pelos 8 anos de desgoverno jarbista – é evidente que se trata de caso de paranóia. Afinal, apenas um medo embasado em estereótipos, irracional, desprendido da realidade objetiva, explica que alguém se recuse a andar a pé, mas se sinta mais seguro porque os vidros do seu carro são (ilegalmente) mais escuros!


Por trás dessa neurose coletiva, subjaz o profundo desconhecimento do outro – o pobre, sempre visto como agressor potencial, quando não o subalterno, claro.

7 comentários:

Nine disse...

eu tenho medo sempre.

Jampa disse...

Parece-me que esse posts é uma continuação do anterior. Nem tudo é solidão, mas quanta solidão "quand même"!
Uma das ilusões do Realismo em literatura foi pensar que podia se constituir como uma "janela aberta para o mundo"... A janela de nossos carros serviria de metáfora para tantas coisas, nem vou me arriscar. Vidro fumê, vidro isso ou aquilo, andar com os pés, de bicicleta ou de carro, nada disso me importa, o que sinto agora é o medo. Medo dos ditadores. Medo dos democratas. E o medo da morte e o de depois da morte. E, Drummond é genial, sobre os nossos tumulos, flores amarelas e covardes.

É isso BJ e Diogo... valeu pelo post.

Jorge disse...

O sistema de transporte no Recife também não ajuda, principalmente a noite. Além de precário, tem uma média de 3 assaltos por dia. Conheço muita gente que anda a pé, mas é porque não tem dinheiro para pegar um ônibus, ai, ai....

Dado disse...

Cheguei velho! Já peguei uma zebrinha em Brasília. Quando é que você anda até o hotel para a gente caminhar no Parque? Nada de ônibus para você Berna.

Bernardo & Diogo Jurema disse...

medo quem deve ter é quem vive no Ibura, no Coque, em Santo Amaro. Quem vive em Casa Forte, nas Gracas, na Jaqueira, no Parnamirim, em Boa Viagem etc, não faz idéia da realidade cruel da maior parte da cidade, e acha que vive uma situacão insustentável. Ainda pode piorar e muito! Deixa a realidade do resto da cidade chegar à da classe média... Aí sim, teremos medo.

Chantinon disse...

Bernardo & Diogo Jurema...
Eu tinha acabado de escrever em outro blog um comentário muito próximo desse ultimo (o que está ai em cima).
Concordo plenamente com vocês.
A única coisa que discordo é sobre o Jarbas... não sou de defender políticos, já que por aqui essa espécie já se mostrou menos confiável que Pit Bull. Mas passei alguns anos fora de Recife graças a sujeira e violência... Na época do avó do atual governador isso aqui ainda conseguia ser pior.
Jarbas realmente não conseguiu muita coisa no lado da segurança pública, mas ter um governo com nome limpo também influencia os jovens pobres... Não é nada positivo para os humildes saberem que políticos corruptos podem pintar e bordar e ainda ficar no poder, a mensagem que eles entendem é: "Vamos fazer o mesmo"

Jorge disse...

Desculpe, mas Jarbas é um dos políticos mais corvardes, mas omissos que passaram por Pernambuco. Foi no seu governo que o Estado passou a ser o campeão de violência no Brasil, principalmente na região metropolitana. E pior, nunca o professor da escola pública foi tão humilhando, recebendo a pior hora/aula do país, atrás de estados infinitamente mais pobres. Isso para não falar no estado de calamidade, de desespero dos grandes hospitais de Recife. Ele nunca veio a público dar uma satisfação que fosse, covarde, blindado por uma imprensa que além de incompetente, na qualidade de seus jornais, é lambe-botas das velhas oligarquias de PE. Jarbas pra mim é uma vergonha sem precedentes, um covarde.