quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Oposições

Esse lance da não aprovação da CPMF foi um golpe baixo da oposição, que colocou interesses partidários à frente dos nacionais. Ainda que o Governo precise defender-se melhor: o que os conservadores chamam de "gastos" a serem reduzidos, eu considero "investimentos sociais" inadiáveis. Me fez lembrar dois texto que escrevi no ano passado, onde diferenciava a oposição conservadora ao Governo Lula da oposição progressista sofrida pelo Governo FHC. Vale a pena ver de novo, permanecem pertinentes. Os números da economia e da popularidade do governo falam por si só e explicam melhor que qualquer análise o ímpeto radical da oposição de direita. Não funcionou no primeiro mandato; será que funcionará agora?

3 comentários:

Aline disse...

bernardo,

CPMF e oposição de lado, vai lá no blog e dá uma olhadinha no tipo de projeto de lei que o PT tá submetendo...

www.mascomoeuiadizendo.wordpress.com

Cesar disse...

Oposicao progressista ao governo FH? Contra a lei de responsabilidade fiscal (que depois tornou-se a favor), contra a privatizacao das teles e...contra a CPMF. Cade o progresso?
PT e PSDB se merecem, fala a verdade.

Bernardo Jurema disse...

discordo césar. O PT propunha uma LRF que incluísse metas sociais... é bem diferente. E era contra as privatizações da maneira que foram feitas. E foram mal-feitas mesmo. E sobre a CPMF... tá certo, mas lembro que aquela oposição não tinha número suficiente pra fazer o que esta fez... São contextos distintos...

O PT soube evoluir com o Brasil. A oposição PSDB/PFL não.