sexta-feira, 9 de setembro de 2005

Do Marketing nas Federações
Do Campeonato, quanta propaganda há dos Campeonatos?
Os dirigentes de Federação devem mapear seus consumidores de modo a direcionar suas ações sem desperdício; ou seja, a pouca propaganda que existe dos campeonatos não devem ser apenas por meio de uma mídia de massa, modo mais fácil. Os dirigentes devem conhecer onde estão as pessoas para desenvolver ações com base no que foi identificado sobre elas.
Quantas campanhas são desenvolvidas pela Federação, fazendo uso da imagem dos atletas filiados, colocando o Campeonato em evidência? Os atletas recebem por ceder suas imagens, contudo, não se vê jogadores fazendo propaganda para o seu produto, o Campeonato em que atua. Em Pernambuco, algumas pessoas associaram sua imagem ao futebol local, porém, jamais fizeram campanhas em pró da Federação. O mesmo acontece no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais. Essa omissão também vem da CBF, a qual não usa a imagem de seus atletas para valorizar ou divulgar seus produtos: Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil.
Qual o nível de distribuição dos Campeonatos Estaduais no Brasil? Há, por exemplo, nordestinos espalhados pelo Sudeste e pelo Sul do Brasil. No entanto, os campeonatos estaduais não podem ser visto pelo torcedor que está em São Paulo, mesmo que ele queira pagar caro por isso. As Federações devem saber onde estão seus conterrâneos para avaliar a viabilidade de expandir seus canais de distribuição.
O marketing dos clubes e Federação deve ser trabalhado com mais zelo, valorizando os times e seu Campeonato. Portanto, clubes e entidades precisam:

· Identificar quem são os consumidores e aperfeiçoar as ações tomadas;
· Criar novas fontes de receita com base no perfil dos consumidores;
· Atender às necessidades e desejos implícitos do consumidor;
· Satisfazer o cliente-consumidor, evitando seu distanciamento.
Credibilidade, organização e comunicação são pilares para o sustento saudável de um produto: nenhum deles sozinho é suficiente para gerar boas receitas. O marketing bem feito é bom para os clubes e muito melhor para a indústria na qual atuam.

3 comentários:

Jorge disse...

Existe uma visão muito arcaica no trato com o futebol brasileiro. Os radialistas e jornalistas são, regra geral, pessoas muito conservadoras que se opõem a qualquer mudança que vise a melhoria da dinâmica e do espetáculo do jogo. Os dirigentes são verdadeiros oligarcas que se preocupam valorizar seus campeonatos patéticos, como o Pernambucano, carioca ou baiano, sob argumentos absolutamente ilógicos. Se houver uma marketing especificado será apenas para explorar o torcedor e não cativá-lo a manter-se não só fiel ao clube, mas ao consumo da imagem deste clube.

Dr. Biu disse...

Visitem o novo blog gréia da cidade tabajara - http://cubaneiros.blogspot.com/ .

estanislau borges disse...

não é gréia, é coisa séria...das mais sérias existentes, olha lá! se um dia o sol virar um buraco negro ou uma anã-branca veremos se o que eu disse não é mentira! ó, por quê? mas, repita por favor, por quê? isso é uma falta de respeito na pequena área! então é isso, pênalti! juninho pernambucano.