sexta-feira, 23 de junho de 2006

Show é ganhar jogando bonito.
Numa equipe, não existe insubstituíveis. Todos os componentes daquele grupo são, supostamente, capazes de cumprir as tarefas determinadas pelo líder. De acordo com as circunstâncias, o líder deve saber como usar suas peças adequando-as ao ambiente no qual está atuando. Saber montar uma equipe com os melhores componentes é importante, mas não é nada se não se sabe usar essas peças.
O rótulo criado pela equipe de Parreira, ou seja, a distinção entre Titulares e Reservas fere o conceito de equipe. A equipe de Parreira fere, também, o item insubstitucionalidade das peças componentes daquele grupo. Afinal, numa equipe todos são titulares e ninguém é insubstituível.
O jogo de ontem contra o Japão foi lindo. Ele foi bom porque Parreira agiu um pouco sem ser Parreira e colocou os "reservas" em campo: um time mais solto, mais criativo e mais ofensivo. O jogo foi bom até o momento que Parreira voltou a ser Parreira e decidiu deixar o jogo que estava bom para Brasil, chato. Então, ele tira Ronaldinho Gaúcho e entra com seu Zinho de 2006, sua enceradeira, Ricardinho. E o jogo cái de qualidade. Ainda bem que fica a memória da maior parte do jogo... de um futebol de equipe que não nos faz desejar que baixe a estrela num de nossos jogadores para resolver o jogo porque, afinal de contas, a estrela, finalmente, não foi ninguém individualmente; foi a seleção brasileira, como tanto prega Parreira.
Até ontem, estávamos presos ao "show é ganhar". Depois de ontem, espero que o próprio Parreira tenha visto que show é muito mais do que ganhar. Show é ganhar jogando bonito. Show é ter uma equipe e, não, um grupo de talentos.
Espero que esteja errado, mas eu não me iludo com Parreira. Acredito que apesar do verdadeiro show que sua equipe deu em campo, ele continuará sendo Parreira: aquele líder medíocre, pouco ousado, conservador. No máximo, ele entrará apenas com Robinho na frente, no lugar de Adriano. Gostaria de ver algo mais, mas, como disse não me iludo. Parreira aparentemente já deu a sua dose de ousadia para esta Copa.

Um comentário:

Jorge disse...

Juninho Pernambucano JÁ!